Notícias

Notícias

Técnica é aprimorada na rápida recuperação do paciente pós-operatório
Galeria de Mídia
26 de outubro de 2018

Técnica é aprimorada na rápida recuperação do paciente pós-operatório

Com o objetivo de promover uma recuperação mais rápida do paciente, com foco na chamada “mobilidade física”, a Unimed Criciúma promoveu nesta quinta e sexta-feira, dias 25 e 26 de outubro, o curso de Gerenciamento do Bloqueio Neuromuscular e Reversão Protocolo de Bloqueio Profundo. Foram dois dias de estudos com a equipe de anestesistas e cirurgiões da instituição hospitalar.


O Gerenciamento do Bloqueio Neuromuscular e Reversão Protocolo de Bloqueio Profundo é uma técnica que reduz os riscos e complicações cirúrgicas, melhora o campo para o cirurgião e reduz o tempo de ocupação da sala cirúrgica que, consequentemente, acelera a alta do paciente. Já é utilizado pelo Hospital Unimed em alguns dos procedimentos cirúrgicos.


A educação médica continuada, realizada em parceria com a empresa  MSD (Merck Sharp & Dohme), abordou atualizações em Anestesiologia. No primeiro dia ocorreu a aula médica, no auditório da Unimed e o segundo a demonstração prática, no Centro Cirúrgico. Foi ministrado pela professora, dra Maria Angela Tardelli que é coordenadora da disciplina de Anestesiologia, Dor e Medicina Intensiva da Unifesp (EPM) e chefe do serviço de anestesia do HSP/HU da Unifesp, em São Paulo.


“Na quinta-feira abordamos, na teoria, o bloqueio neuromuscular para cirurgias laparoscopia – o nível de intensidade do bloqueio e seus benefícios para o paciente e o cirurgião. Hoje (sexta-feira), na prática, aplicamos a técnica durante uma cirurgia, onde foram demonstrados alguns benefícios, como a melhoria na visão do campo”, explica a dra Maria Angela.


O médico anestesiologista, dr. Audinar de Liz, cita a utilização da técnica no Hospital Unimed Criciúma em videolaparoscopia para cavidade peritoneal. “Existem evidências comprovadas que o bloqueio profundo proporciona relaxamento do paciente, promovendo menos dor pós-operatório. O trauma é menor. A técnica já é utilizada no hospital em videolaparoscopia para cavidade peritoneal”. “A dra Maria Angela é um expoente na área da anestesiologia no país. Estamos tendo o privilégio de aprender mais com ela”, acentua

Outras Notícias