Notícias

Notícias

Colaboradores são orientados sobre destino correto de resíduos e higienização das mãos
Galeria de Mídia
09 de maio de 2017

Colaboradores são orientados sobre destino correto de resíduos e higienização das mãos

Colaboradores do Hospital e do Plano de Saúde Unimed Criciúma participam nesta quinta e sexta-feira, dias 4 e 5, respectivamente, da Campanha de Higienização das Mãos e do Treinamento Realista do Programa de Gerenciamento de Resíduos em Segurança de Saúde (PGRSS). Ambas as ações visam a conscientização dos colaboradores durante as atividades hospitalares tanto na higienização quanto no destino correto dos resíduos.


De acordo com a enfermeira da comissão de controle de infecção hospitalar, Michelle Machado Fortunato, três estações foram montadas para mostrar aos colaboradores de uma forma realista e lúdica a importância da destinação correta dos resíduos e da consequência do descarte irresponsável.


Na primeira estação foi preparado um áudio abordando dentre outras questões o tempo de decomposição de alguns resíduos gerados. O papel que leva de três a cinco meses para se decompor, os chicletes e as pontas de cigarros que levam cinco anos, as fraudas descartáveis que ultrapassam os 400 anos. Já os pneus o tempo de decomposição ainda é desconhecido.


Nas demais estações, os colaboradores visualizaram na prática onde cada resíduo deve ser destinado, como: lixo amarelo/metais; lixo vermelho/plástico; lixo azul/papel; lixo marrom/orgânicos; lixo verde/vidros; lixo branco/biológicos. O desperdício de alimentos também foi pontuado. De acordo com a nutricionista do hospital, Suzana de Fátima Dal Berto, somente no mês de abril, o lixo orgânico deixado no prato dos colaboradores durante as refeições totalizou mais de 63 quilos.


Há dois anos, o mesmo trabalho foi realizado e verificou-se 90 quilos desperdiçados. “Hoje são pouco mais de 60 quilos, ou seja, já houve uma conscientização e, por isso, a importância de trazer este cenário novamente”, comenta. Por fim, os funcionários ganharam um brinde contendo sacos plásticos para poderem destinar corretamente os seus resíduos.  


Já a Campanha de Higienização das Mãos alertou mais uma vez esta questão primordial para evitar qualquer tipo de contaminação. Conforme Michelle, a higienização das mãos é realizada pela lavação com água e sabão ou com álcool a 70%. Ambos são excelentes, atendendo perfeitamente o objetivo de eliminar os agentes patogênicos. Os colaboradores passaram pelo teste de swab para identificar o seu nível de higienização com intuito de ter um controle para minimizar contaminações microbiológicas.


Além disso, todos participaram de uma atividade com olhos vendados, onde o colaborador realizou a lavação das mãos com guache e, posteriormente, verificou se realizou ou não a lavação correta. Com o mesmo intuito, os colaboradores também foram submetidos a uma atividade com uma máquina reveladora de luz negra. Para complementar as ações duas palestras foram disponibilizadas. A primeira delas com o tema Pneumonia Comunitária e H1N1 com o médico pneumologista Fábio Souza e a segunda com título de Superbactéria com o bioquímico Gustavo Menezes. 

Outras Notícias